terça-feira, 5 de abril de 2011

MENOS É MAIS - MAIS É MENOS

Menos é mais. Às vezes, essa frase misteriosa é a chave para entender o Taijutsu e o Ninpô. Mais é menos. Esse conceito deve ser compreendido. A arte da Bujinkan está longe de ser óbvia. E essa é a intenção. Esta é a maneira como ela foi passada através das eras. Um método de sobrevivência é manter escondida e separada. No Ninpô, isso requer que aqueles que o estudam, superem os primeiros poucos portões para chegar ao entendimento. Esse é motivo que Hatsumi Sôke diz que não importa se alguém roubar os Denshô que contém a informação do Ryû. Nas palavras dele: ele é o único capaz de lê-los. Os secretos do Ninpô não desistem tão facilmente. Nos antigos tempos de guerra, aqueles que não entendessem simplesmente morriam. Aqueles que entendessem, sobreviveriam. Aqueles com pouco comprometimento com a arte, não enxergarão abaixo da superfície, e não enxergarão os segredos, que esta arte tem mantido por milhares de anos.

Menos é mais. Se você tem problemas executando uma técnica, a primeira coisa que você deveria fazer é tentar novamente, mas faça da maneira oposta que a maioria das pessoas fazem. Desta vez, tente com menos força, menos movimento, menos velocidade e tensão. Essas coisas são barreiras e, uma vez que você as remove, você pode alcançar o verdadeiro poder. Deste modo, você pode encontrar o sucesso. Uma outra coisa que é difícil de entender sobre Taijutsu é que é difícil, no início, dizer quando você está fazendo corretamente. Quando você o executa corretamente, parece ser muito fácil, e você pensa que precisa fazer mais coisas. Mas mais é menos. Se vê muitos estudantes finalmente executando uma técnica corretamente após 15 minutos tentando, e eles olham para o professor, com uma expressão perplexa, e dizem: "É isso? Mas o professor dificilmente faz alguma coisa agora!" Esta Arte Marcial é feita com facilidade, com força natural através do movimento. Uma vez que você supera os primeiros poucos portões do entendimento, ela faz perfeito sentido.

Todos entram nesta arte, e em outras disciplinas (como outras forma de Budô, Yoga, Zen, religiões, etc.), para melhorar a si próprios, para tornarem-se mais do que eles eram antes. Mesmo assim, mais é menos. Imagine desta forma: você é um bloco de mármore, que você trabalha duro, aparando-o para revelar a obra de arte que está por dentro. Você fica exausto lapidando, descartando o que não é necessário, deixando apenas o que você precisa. No chão, você vê os pedaços do que uma vez foi parte de você: ego, egoísmo, grosseria, infantilidade, orgulho. Não é fácil. Durante seu processo de moldar a si mesmo, você pode não gostar do que vê. Apenas continue e siga em frente. Desta forma, quando você se torna menos do que era antes, você, na verdade, se torna mais. Dentro deste paradoxo está a chave. Esta lapidação é um longo e difícil processo, e só é alcançado através de rigoroso treinamento. Sentar e pensar a respeito não é o nosso jeito. Você escolheu o Ninpô como seu modo de desenvolvimento pessoal e é importante dar-lhe todo seu esforço. A recompensa é valiosa.

A vida moderna está cheia de desordem. Existem muitas coisas chamando sua atenção. A maioria delas são distrações inúteis. É o nosso objetivo moderno preencher nossas vidas com tudo o que possamos. Mesmo assim, poucas pessoas são felizes nestes dias. Não seja enganado, pensando que você precisa ter muitas posses para se sentir preenchido. Tente ver o que é importante para você e remova o que não é necessário. Eu acho que você descobrirá que simplicidade é felicidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

POSTAGENS RECENTES

POSTAGENS MAIS VISTAS