quinta-feira, 21 de abril de 2011

DOJÔ E TATAMI

A maioria das Artes Marciais japonesas modernas é praticada em um Dojô.

O Dojô [道場], Do [道], que significa “caminho” e Jo [場], que significa “um lugar”, é o “lugar do caminho” ou “lugar da iluminação” – é a sala usada para o treinamento das Artes Marciais.

O Dojô (pronuncia-se DÔ-JÔ) é o local onde se treinam Artes Marciais nipônicas. Muito mais do que uma simples área, o Dojô deve ser respeitado como se fosse a casa dos praticantes. Por isso, é comum ver o praticante fazendo uma reverência antes de adentrar, tal como se faz nos lares japoneses.

"Se um homem não demonstra seu valor no Tatami, ninguém é capaz de percebê-la no campo de batalha."
Yamamoto Tsunetomo, Hagakure.

Dentre os maiores e mais tradicionais Dojôs modernos das Artes Marciais do Japão estão a Kodokan (講道館) criado em Tóquio, Japão, por Jigoro Kano, em 1.882, e o Dai Nippon Butoku Kai (DNBK; 大日本武德会), Grande Sociedade das Artes Marciais do Japão, criada em 1.895, em Kyoto, no Japão, sob a autoridade do Ministério da Educação. O objetivo deste último foi o de padronizar as Artes Marciais de todo o país. Esta foi a primeira organização oficial de Artes Marciais sancionada pelo governo do Japão.
Kodokan, entrada do Dojô, 1.882.


Butokukai,1.899.

A prática das Artes Marciais é realizada em um Tatami (畳), que significava originariamente “dobrado e empilhado”. O Tatami tradicional é feito de palha de arroz prensada revestida com esteira de junco e faixa preta lateral. É o piso das áreas secas de uma residência e serve de medida para os cômodos. No Japão, Tatamis eram originalmente um item de luxo quando a maioria das pessoas viviam em locais de chão batido.

O Tatami não tem a dureza do chão liso, por isso protege o Artista Marcial quando este cai durante; entretanto, ao mesmo tempo, não tem a maciez de um colchão - por isso, pode machucar o praticante que cair de mau jeito.

Os moradores da residência e seus visitantes devem tirar seus sapatos, por questões de respeito e higiene.

Cada Dojô tem suas peculiaridades sobre etiquetas e protocolos, mas alguns são fundamentais:

Ao adentrar e ao sair do Dojô e do Tatami, fazer reverência. Quando estiver entrando, a reverência representa seu sentimento de solicitação, de humildade. Quando estiver saindo, representa seu sentimento de gratidão.

Ao início e ao término da prática a dois, fazer uma reverência ao parceiro de treino.

Quando o Sensei estiver dando orientações, permanecer em Seiza (ajoelhado) e após o término, agradecer com uma reverência. Permanecer nessa posição denota humildade para receber os ensinamentos.

Não cruzar os braços ou arregassar as mangas dentro do Dojô. Estas atitudes são sinais de desavença.

Quando estiver no Tatami, não apoiar as costas nas paredes. Essa regra existe tanto pela questão disciplinar, quanto pelos aspectos marciais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

POSTAGENS RECENTES

POSTAGENS MAIS VISTAS