quarta-feira, 18 de abril de 2012

武神館道場 - O FUTURO DA BUJINKAN - POR SHIHAN ARNAUD COUSERGUE

Retornando do seminário que ocorreu este fim de semana no México DF, pensava no sentimento que compartilhamos durante estes dias juntos misturado com técnicas, movimentos básicos, avançados, história, cultura e descanso. E me senti bastante triste pela Bujinkan não ser sempre assim.

A Bujinkan é um grupo humano e como todo grupo humano há gente boa e gente má. Tenho medo que nosso futuro não seja feliz, mesmo que Sensei insista desde o princípio na noção da felicidade. O desenvolvimento fantástico que teve a Bujinkan nestes últimos anos tem atraído também um desenvolvimento de mestres mais interessados pelo seu próprio desenvolvimento financeiro ao invés de transmitir corretamente o que receberam de seus professores.

A Bujinkan tem chegado a um ciclo importante de sua história e os anos que vem podem destruir o que Sensei tem criado durante todos estes anos. Hoje em dia é o que entendo com o tema do ano: "Kihon Happo", "O princípio de um novo período", "O começo de um novo ciclo". Agora é nossa responsabilidade levar a Bujinkan para um nível mais alto para todos e não somente para um grupo de gente interessadas.

Mas para ter um futuro positivo, teremos que entender de onde viemos, já que sem passado não há presente, muito menos futuro. Primeiro teremos que aceitar o fato de que a Bujinkan não é só "Ninjutsu", é um sistema de vida baseado no Ninjutsu e iniciado por Hatsumi Sensei a partir dos anos 70. Este sistema tem evoluído com ele mesmo para chegar na Bujinkan que conhecemos hoje.

Com base sobre o Ninjutsu, o sistema desenvolvido por Hatsumi Sensei tem como objetivo principal, ensinar a seus membros, como comportar-se na vida. Para chegar nesta evolução era importante seguir uma progressão técnica que se começa com o corpo para poder modificar o pensamento. Podemos establecer o caminho que nos foi mostrado pelo Sensei graças aos temas do ano, criados em 1993.

Os períodos de estudo da Bujinkan são os seguintes:

Ninjutsu:

1973 – 1992, desenvolvimento de um "sentimento" geral ao redor do "Ninja";

Budô Taijutsu:

1993 – 1997, período "ângulos e armas": respectivamente: Bô Jutsu, Yari Jutsu, Naginata Jutsu, Biken Jutsu, Jô Jutsu;

1998 – 2002, período "Goshin Taijutsu": respectivamente: Taihen Jutsu, Daken Taijutsu, Koppo Jutsu, Kosshi Jutsu, Jû Taijutsu;

Ninpô:

2003 – 2007, período "Juppô Sesshô": respectivamente: Sanjigen No Sekai (Kunai Jutsu, Shotô Jutsu), Yûgen No Sekai (Roppô Kuji No Biken), Kasumi No Hô (Gyokko No Bô), Shizen (Shinden Fudô Ryû), Kuki Taishô (Kukishin Ryû);

2008 – 2012, período "Juppô Sesshô 2": respectivamente: Menkyô Kaiden, Sainô Konki, Rokkon Shojô, Kihon Happo, ¿?? (2012).

O que parece é que Sensei segue ciclos de 5 anos, Ninjutsu = 4 ciclos; Budô Taijutsu = 2 ciclos; Juppô Sesshô = 2 ciclos.

Para entender a Bujinkan deve seguir esta progressão, que lhe permite aprender com seu corpo para desenvolver em seguida, suas capacidades intelectuais. Os "mestres" que ensinam sem saber o conteúdo dos temas desde 1993 e que só ensinan "um feeling", não entendem a Bujinkan e transformam nossa arte em um desporte. É por isso que muitos Dojô hoje em dia aderem técnicas de MMA para terem treinamentos "mais reais".

É tempo de aprofundar em seus fundamentos através do Ten Chi Jin Ryaku No Maki e estudar com um aluno de Sensei que conheça os movimentos básicos. Só com uma base forte os membros da Bujinkan poderão criar um futuro positivo.

Por Arnaud Cousergue em 16 de Junho de 2011

Tradução: Galleni Junior - Bujinkan Shidoshi-Ho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

POSTAGENS MAIS VISTAS